A melhor Plataforma
E-commerce do Brasil
(11) 3136-0561
Crie sua loja virtual

Qualidade sobressai o preço na decisão de compra, diz estudo

Tema: Preferência do consumidor online (Preço x Qualidade)

17/10/2011

Fonte: Ecommerce News

Os consumidores de diversos países do mundo (incluindo do Brasil) afirmaram que descobrir um bom uso para seu dinheiro em particular é algo "muito influente" para seu ato de comprar, mais do que adquirir em uma loja com os preços mais baixos no geral "embora por uma pequena diferença" de acordo com um novo trabalho divulgado pela The Nielsen Company em outubro de 2011. Resultados do estudo ?Shopping and Saving Strategies Around the World? indicam que 61% dos consumidores online globais citaram ser muito importante no ato de comprar encontrar bom uso aos seus recursos, contra 58% que marcaram ser muito importante encontrar o preço mais baixo.

No entanto, uma porcentagem ligeiramente superior (37% contra 34%) classificou o baixo preço como pouco influente, enquanto 95% dos consumidores disseram que encontrar bom uso para o dinheiro influencia em sua escolha do varejista, contra 94% que afirmaram o mesmo para o baixo preço.

Outros atributos marcados como de grande influência por mais da metade dos consumidores online globais foram localização conveniente, grandes ofertas/promoções, estoques bem abastecidos e alta qualidade dos produtos.

Cerca de 59% dos consumidores online globais procuram poupar os recursos da família na hora das compras através de promoções, estratégia de poupança líder em todas as regiões do estudo, sendo a mais prevalecente na América do Norte (73%) e Europa (60%). Usar cupons foi a segunda estratégia de poupança mais popular citada no estudo, sendo utilizada por 48% dos consumidores do mundo.

O relato de uso de cupons é maior na América do Norte (65%) e Ásia-Pácifico (55%). A China (67%), os EUA (66%) e Hong Kong (65%) são os três mercados líderes no uso reportado de cupons como forma de economizar dinheiro.

Quando questionados sobre se preferem comprar embalagens grandes a um preço pequeno por pacote ou embalagens de tamanho menor com baixo custo, os consumidores escolheram a primeira em uma proporção de 2:1. 36% dos consumidores globais entrevistados indicaram sua preferência por produtos com embalagens econômicas de grande volume, com um valor menor por porção. A metade deste número de entrevistados (18%) afirmou preferir menores tamanhos de embalagens, mas com custo menor por porção, com apenas 12% afirmando preferir pacotes modestamente reduzidos ao nível de preços atuais

Cerca de 1/3 dos consumidores em cada região afirmou preferir as embalagens grandes e econômicas, mas este sentimento é mais pronunciado na América do Norte, onde 39% dos consumidores indicam a preferência por estes tamanhos, 20% para embalagens pequenas com preços menores, e 11% preferem tamanhos modestamente menores com os preços atuais.

Quando questionados sobre de que forma buscam fazer poupança doméstica, 59% dos consumidores globais afirmaram comprar produtos em promoção. Nenhuma outra forma de poupança foi citada por mais da metade dos consumidores globais, sendo que 48% estão usando cupons, enquanto 40% compram em varejistas que disponibilizam descontos e 39% dão preferências a produtos com embalagens grandes e econômicas.

Examinando a escolha por varejistas que disponibilizam descontos mais profundamente, a Nielsen descobriu que esta estratégia de redução de gastos é mais usada na região da Ásia-Pacífico (44%), sendo citada por pouco mais de um terço dos Europeus e Norte-Americanos (37% e 36%, respectivamente). Na região do Oriente Médio/África, cerca de 29% afirmaram comprar em varejos de desconto como forma de poupar.

Perto de 9% dos consumidores globais afirmaram não ter tomado medidas para reduzir os gastos domésticos com relação ao ano anterior.

De longe, os norte-americanos são os mais propensos a saírem para comprar estoques de mantimentos, com 60% destes consumidores afirmando que o principal motivo para saírem e fazer compras é estocar produtos básicos. Em contraste, 18% afirmaram sair de casa para comprar poucos itens, e apenas 7% afirmaram que vão as compras quando falta algum item em casa.

A distribuição mais uniforme de motivações para sair às compras foi encontrada na Europa, onde 37% dos consumidores afirmaram sair para comprar grandes compras em supermercados, 21% saem quando precisam de alguns itens importantes e 25% disseram que fazem saídas rápidas de compras quando falta apenas um item de que necessitam.

Por outro lado, o estoque de mercadorias é menos comum nas regiões da Ásia-Pacifico, América Latina e Oriente Médio/África onde cerca de 20% tem como principal motivo para sair às compras fazer estoque de mercadorias básicas. Nas localidades da Ásia-Pacífico e Oriente Médio/África perto de um terço dos consumidores afirmaram que fazem saídas rápidas para comprar apenas um item de que necessitem (32% e 33% respectivamente).

Um número um pouco menor de indivíduos afirmou sair para comprar apenas alguns itens essenciais (28% no Oriente Médio/África e 29% na Ásia-Pacífico). Similarmente, na América Latina, os motivos mais comuns reportados para se ir as compras foi comprar alguns itens essências (33%) e saída rápida para comprar algo que falta (25%).

O uso de cupons online por consumidores está aumentando, segundo nova pesquisa da Forrester Research. Resultados do estudo "The Impact of Online Coupons and Promotion Codes" indicam que 66% dos consumidores irão usar cupons para ao menos 25% de suas compras nos próximos 12 meses, um aumento de 20% com relação aos 55% que haviam usado este meio de compras para ao menos 25% de suas compras nos últimos 12 meses.

A The Nielsen Global Online Survey foi conduzida entre 23 de março e 12 de abril de 2011, entrevistando mais de 25.000 consumidores em 51 países das regiões da Ásia-Pacífico, Europa, América Latina, Oriente Médio, África e América do Norte.





Veja também

Google+