A melhor Plataforma
E-commerce do Brasil
71 3165-4080
Crie sua loja virtual

Estudo mostra panorama do E-Commerce no Brasil e no mundo

Tema: Estatícticas e perspectivas do mescado de Comércio Eletrônico

30/11/2011

Fonte: E-commerce News

Uma nova pesquisa realizada pela Pitney Bowes, intitulada como ?Pitney Bowes Global Online Shopping Survey?, revelou que o tamanho da empresa não é tudo quando se trata das preferências de consumo das pessoas no comércio eletrônico. Embora compartilhem diversas características, o comportamento destes consumidores se difere entre os diversos países. Os varejistas que buscam expandir suas operações para além das fronteiras de seu país de origem devem procurar entender as peculiaridades do comportamento e preferências de consumo de cada região.

Contratada pela Pitney Bowess, a empresa ORC Internacional realizou a pesquisa entrevistando aproximadamente 10.000 adultos em 10 países: Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Japão, Coréia do Sul, Reino Unido e EUA, buscando compreender seus hábitos e preferências na hora de comprar pelo e-commerce.

Penetração do e-commerce atinge 91% dos consumidores brasileiros

A pesquisa mostra que o consumo através de canais online já é um hábito mundial. Globalmente, 93% (91% no Brasil) dos consumidores entrevistados já realizaram alguma compra pela rede, com 49% (45% no Brasil) tendo feito alguma aquisição pela internet durante o último mês. Consumidores da Alemanha, Coréia do Sul e Reino Unido são os mais propensos a ter realizado compras online dentre os países inclusos no estudo (98%), seguido de perto pelo Japão (96%). O Canadá é o país com menor penetração do comércio eletrônico, com 82% dos entrevistados relatando ter comprado algum produto através de dispositivos eletrônicos.

Baixo preço lidera preferência dos consumidores

A pesquisa constatou que os consumidores almejam basicamente quatro fatores quando realizam compras em sites de e-commerce: preços competitivos (71%), grande variedade de produtos (42%), processo de checkout simples e baixo custo de transporte e impostos (35%). O preço das mercadorias foi a consideração mais lembrada nos 10 países inclusos no estudo. Especificamente para os brasileiros, o baixo preço (59%) e a praticidade e agilidade no processo de pagamento (56%) são os principais atrativos para comprarem pelo e-commerce. Curiosamente, este último fator obteve um índice muito parecido com um estudo divulgado recentemente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), em que 54,46% dos paulistanos apontaram a praticidade como o principal diferencial do comércio eletrônico.

Custos de frete é o principal motivo para o abandono do carrinho

No entanto, outras preferências dos consumidores variam conforme o país. Por exemplo: no estudo aparecem diferenças significativas nas razões que influenciam os consumidores a abandonar os carrinhos de compra. Altos custos de frete, 67% (53% Brasil), taxas e impostos adicionais para a entrega, 47% (48% Brasil) e tempo de entrega, 39% (45% Brasil) são os fatores mais citados como motivos para não completar uma compra online. Mas estas taxas variam bastante entre as nações. Consumidores dos EUA (83%), Reino Unido (79%) e Japão (78%) são três vezes mais sensíveis aos custos de transporte como motivo para não finalizar uma compra do que os sul-coreanos (25%).

Produtos eletrônicos são os mais populares no Brasil

A pesquisa também se objetivou a descobrir quais produtos os consumidores preferem comprar pela internet em detrimento das lojas físicas. As categorias de produtos com maior percentual de preferência de compra na rede foram livros, vídeos e música, 58% (63% no Brasil) hardware e software, 41% (59% no Brasil) e eletrônicos de consumo, 38% (66% no Brasil). A categoria de vestuário foi a menos popular dentre as opções, com apenas 11% dos brasileiros afirmando preferir comprar produtos do gênero em sites de e-commerce.

Em quase todas as categorias de produtos que aparecem na pesquisa os consumidores chineses se mostraram mais propensos a comprar pela internet ao invés de lojas físicas, com itens de vestuário (58%) e calçados (53%) liderando a lista. Apenas em produtos hardware e software (39%) e joias/relógios (16%), a preferência por comprar online foi menor do que em lojas físicas.

Consumidores preferem receber ofertas por e-mail

Quando questionados sobre as suas preferências no recebimento de informações sobre novos produtos, promoções e outras ofertas de varejistas/marcas, 59% dos consumidores globais (e 72% dos brasileiros) optaram para que a comunicação se realizasse via e-mail. 25% (16% no Brasil) preferem o recebimento de informações em catálogos ou por mala direta, indicando que o correio também é um canal muito atrativo para os varejistas online. 4% (1% no Brasil) dos entrevistados gostam de receber as novidades por mensagem de texto (SMS), enquanto 5% dos brasileiros têm predileção por canais de mídia social (Facebook e Twitter).

Olhando para as diferenças no comportamento dos consumidores em todos os países, o Brasil apresentou a maior taxa de preferência para o recebimento de informações/ofertas via e-mail (72%). Consumidores australianos (33%) apresentaram o maior favoritismo pelo recebimento de catálogos e malas diretas, seguidos de perto pelo Canadá (32%), Alemanha (31%) e EUA (30%). Mensagens de texto (SMS) tiveram as maiores taxas de predileção na Coréia do Sul (13%), Japão (12%) e China (9%). Já 11% dos chineses e 5% dos sul-coreanos e brasileiros preferem receber informações por meio de redes sociais.





Veja também

Google+